Portugese

Pinguim-azul ou Pinguim-fada
(Eudyptula minor)

O nome científico do pinguim-azul ou pinguim-fada é basicamente descritivo (Eudyptula menor). Não só é o menor de todos os pinguins, mas também a palavra grega Eudyptula significa 'pequeno bom mergulhador'. Estas aves marinhas não-voadoras se reproduzem em colônias, distribuídas ao longo da costa sul da Austrália, indo até o norte por volta de Port Stephens, ao leste, e de Fremantle ao oeste. Subespécies também são encontrados na Nova Zelândia. Muito pouco se sabe sobre suas populações. No entanto, o estado da Tasmânia estima que a população varie de 110,000 a 190,000 casais reprodutores dos quais menos de 5% são encontrados na ilha principal da Tasmânia. As populações mais abundantes são encontrados em ilhas menores. Os adultos pesam em torno de 1 kg e crescem até uma altura de 40 cm, com uma vida média de 6 anos. Há o registro de um indíviduo que alcançara a idade de 21 anos.


At Sea
Ao mar

O pinguim-azul é tremendamente bem adaptado à vida marítma. A sua forma aerodinâmica e a eficiente propulsão de suas nadadeiras ( usando o fluxo de água de forma semlhante À que os pássaros voadores utilizam o ar) permitem – lhe procurar presas em mergulhos curtos e rasos, frequentemente entre 10 e 30 metros, ocasionalmente extendidos até 60 metros. Suas membranas entre os dedos permitem se mover por sobre a superfície da água facilmente e eles possuem garras para cavar e subir rochas escorregadias. Os pinguins têm olhos grandes com retinas bem adaptdas à visão noturna.

Diferente de nós, pinguins têm córneas aplanadas, permitindo enxergar com facilidade dentro e fora da água. Semelhante a outras espécies de pinguim, bem como outras criaturas marinhas, o pinguim-azul usa seu jogo de cores como camuflagem; as costas são escuras para se mesclarem com a superfície da água quando vistas de cima, enquanto a fronte é prateada, semelhante aos reflexos da luz na superfície vista de baixo. Isso os ajuda a evitar predadores como aves de rapina por cima e focas e tubarões por baixo, bem como passar despercebido por suas presas. Alguns pinguins-azuis retornam aos seus ninhos regularmente durante o ano, mas a maioria permanece ao mar durante o período de outono-inverno.

Feeding
Alimentação

A dieta do pinguim-azul varia em diferentes locais, mas consiste principalmente de peixes de pequeno porte, e em menor proporção, lula ou camarão “krill” (espécie crustácea). As presas são pegas com investidas rápidos do bico e engolidas inteiras, auxiliados por farpas sobre o céu da boca. A caça é sempre engolida inteira. Os alimentos são armazenados centralmente num intestino grosso em vez de um papo, uma vez que tal os desequilibraria durante o nado. Pequenos pinguins precisam comer cerca de 25% do seu peso corporal por dia, apenas, para manter a condição, alimentando – se mais quando jovem ou em período procriativo. Ocasionalmente eles pegam larvas de caranguejo ou cavalos-marinhos do fundo do mar.

Colonies and nest sites
Colônias e territórios de ninhos


A maioria das aves residentes em uma colônia retornam para suas tocas em pequenos grupos dentro de uma hora ou mais de escuro, para evitar predadores, como gaivotas, corvos e águias do mar. Grupos de pinguins reunem - se além zona de arrebentação, onde eles podem ser ouvidos chamando uns aos outros. Eles vêm à terra em um rebanho pois há segurança em compania. Mais pássaros significa mais olhos para detectar predadores e os números absolutos podem ser confusos para um predador. Com grandes colônias de centenas de pássaros pode - se vir à terra firme em um breve espaço de tempo. As tocas são separadas normalmente por pelo menos 2 m, e geralmente consistem de um túnel de 60-80 cm terminando em um ninho em “bacia” feito de grama ou algas marinhas. Outros ninhos podem variar de meros arranhões debaixo de uma moita, até elaborados túneis de ligação ou uma casa entre rochas costeiras. Pinguins podem ter que competir com pardelas, ratos, cobras de água e, mais recentemente, coelhos, para tocas.



Breeding
Reprodução

Entre junho e agosto os pinguins machos voltam tanto para renovar antigas tocas ou para cavar novas. Com um cortejo sonoro os machos se exibem para as fêmeas. Apesar de apenas um companheiro ser escolhido, eles costumam não ser o seu único parceiro para a vida. Aves reproduzem anualmente, e no leste da Austrália a postura habitual de dois ovos pode ser observada tão cedo quanto em maio ou tão tarde quanto outubro. Em anos de sucesso, duas posturas podem ser feitas em uma temporada, o que é incomum entre os pinguins. Os pares pinguim compartilham turnos durante a incubação de 1-2 dias e geralmente a eclosão ocorre dentro de 33-37 dias. Cerca de 60% dos ovos eclodem com sucesso. Na eclosão os pintos são de fuligem preta e pesam pouco mais de 25 g. Ambos os pais alimentam os filhotes que comem até metade do seu peso por dia e aos 40 dias de idade, os mesmos podem ser ainda mais pesados do que seus pais. Quando com 5 semanas de idade, os filhotes são muito ativos e podem até mesmo ficar do lado de fora à espera para serem alimentados pelos pais. Dentro de mais 2 ou 3 semanas eles estão prontos para ir para o mar, onde eles vão crescer até à maturidade. Cerca de 70% dos pintos chegam a esta fase no entanto, apenas 15% viverão até o vencimento de dois anos de idade. A maioria destas aves maduras voltará à sua colônia natal para procriar.

Moult
Exúvia, ou troca das penas


Depois da procriação, os adultos alimentação freneticamente para adquirir boa condição para as duas semanas de troca de penas. Eles precisam quase dobrar seu peso, porque eles não vão se alimentar ou beber durante a troca . Se seus ninhos forem grandes, a troca pode ocorrer lá também, mas frequentemente eles escolhem um espaço mais aberto, onde eles possam rolar e se esfregar. Tais lugares são evidentes por suas milhares de penas espalhadas.




Song
Canto

Canto e exibição servem para atrair companheiros, manter intrusos afastados, e como um casal, acentuar o apreço de um ao outro. A distinção individual de um canto vai desde os estrondos mais graves até gritos mais agudos, seguido por movimentos de nadadeiras, bico e corpo. Essas chamadas e exibições variam desde uma “exibição meia-trombeta” até uma calorosa e completa dança. À noite, especialmente durante a estação reprodutiva, os ruídos de uma colônia pinguim são consideráveis.

Seasonal activities
Atividades sazonais

As variações na oferta de alimentos, causadas por mudanças nas correntes oceânicas ou outros fatores, determinarão o padrão de vida de cada população local de pinguins-azuis e podem diferir consideravelmente do mostrado no diagrama abaixo. Em anos favoráveis, os ovos podem ser postos de Maio até Outubro, com duas ou até três ninhadas de filhotes criados em um ano.

Threats and predators
Ameaças e predadores

Mudanças sazonais na oferta de alimentos naturais de ano para ano fazem muitas aves jovens serem mortas nadando, ou fracas demais, parando em nossas praias. Filhotes também podem ser mortos por calor ou por infestações de carrapatos. Devido ao seu pequeno tamanho pinguins-azuis têm muitos predadores. Tanto focas australianas e neozelandesas podem comer pinguins-azuis como leões - marinhos. Grandes gaivotas podem matar pinguins, assim como águias costeiras e águias-de-barriga-branca.

Ao redor de colônias ratos de água podem capturar ovos e filhotes. Ravens e aves de rapina patrulham estas áreas por ovos, filhotes e adultos, assim como “quolls” e demônios-da-Tasmânia à noite, na ilha Tasmânia. No entanto, pequenos pinguins têm evoluído ao lado desses predadores e podem lidar com eles. Predadores introduzidos como ratos, cães e gatos e ameaças dos seres humanos representam um problema maior.

Atividades impensadas criam problemas adicionais para os pinguins-azuis. Eles podem ser afogado quando pescadores amadores lançam, sem saber, as redes perto de colônias de pingüins.
Os derramamentos de petróleo são desastrosos para os pinguins e quaisqueroutras aves marinhas. Não só o óleo é tóxico quando ingerido, mas a flutuabilidade e a isolação da plumagem ficam danificados. Plásticos são erroneamente engolidos em seco e embalagens de garrafa podem se tornar um laço ao redor do pescoço um pinguim.

Cães descontrolados ou gatos selvagens também matam muitos pinguins (muito mais que os predadores naturais do pinguim).

Se a raposa se adequar à Tasmânia, em seguida, pinguins terão que tentar lidar com mais um predador.

Os efeitos de habitação humana, como atropelamentos, assédio direto, vegetação burn-off e desenvolvimento da habitação continuam a ameaçar pequenas colônias de pingüins.



Viewing guidelines
ORIENTAÇÕES


Estas orientações destinam-se a proteger tanto os pinguins e para que você possa vê-los em condições naturais. Por favor, certifique-se que você está familiarizado com eles antes de visitar uma colônia de pingüins.

Penguins deixarão a água com a última luz do dia, tal que estarão sob a cobertura da escuridão, o que ajuda a protegê-los dos predadores. Neste momento eles são muito vulneráveis (lembre-se que eles consideram você como um predador em potencial) e, portanto, estarão cautelosos. Quer eles sintam uma ameaça quer sejam perturbados por ruídos altos e tochas, permanecerão no mar por mais tempo. Isso é estressante para eles e pode interferir com a reprodução, ou pode impedi-los de atingir os seus jovens famintos na toca.Aliás, se permanecerem no mar, você também não poderá vê-los.

It is important
É IMPORTANTE

Por favor, leia e respeite todos os sinais de informação que hajam colocado na colônia de pingüins.

Usar vestuário escuro para camuflagem e vestido para se manter aquecido. Abordem seu ponto de observação a partir da terra, de preferência, e não a pé ao longo da praia, pois isso bloqueia os pinguins, o acesso a suas tocas.

Use caminhos já existentes. Não ande através da colônia pois assim destruirá as tocas. Por favor, não danificar a vegetação. Escolha uma posição de visualização que está a pelo menos 3 m, e não bloquear, o acesso dos pingüins para suas tocas. Escolha um site que tem um fundo escuro para camuflar-se. Acomode-se confortavelmente antes da última luz. Se não houver pessoal experiente disponível, por favor, siga os seus conselhos. Permanecer em silêncio e manter o movimento ao mínimo. Pinguins têm excelente visão e dectam movimento local facilmente, especialmente se eles virem você delineado contra o céu

Somente luzes baixas, emitindo uma luz vermelha (celofane vermelho sobre a lente é OK) devem ser usadas e nunca em direção à água ou diretamente aos pinguins. Câmaras de flash não devem ser utilizadas na praia. As câmeras de vídeo sem holofotes podem ser usadas e produzem melhores resultados no crepúsculo do que as câmeras convencionais .


Muitas vezes, os melhores lugares para ver os pinguins estão por trás da praia, onde eles se sentem mais seguros. Mais uma vez, use apenas a luz vermelha. Para auxiliar a visão, binóculos são úteis, mesmo à noite.

Não sob quaisquer circunstâncias visitar uma colônia com cães (ou gatos). Mesmo se os cães estiverem presos, seu cheiro continua a atrair outros cães depois. Não leve comidas (de cães e gatos) como estes também atraem cães e gatos. Pinguins são vida selvagem sob proteção.

É ilegal para pegar, tentar pegar ou assediar pinguins. Se este tipo de comportamento é observado, por favor denuncie para o guarda mais próximo. As infracções são levadas a sério. Se você está interessado ou preocupado com a sua população local do pinguim entre em contato com os parques mais próximos e escritório Wildlife Service.


 DOAÇÕES

O grupo “ Amigos do pinguim Lillico ” depende de doações para o seu financiamento. Qualquer doação será muito apreciada e será usada para ajudar a proteger os pequenos pinguins de danos na plataforma Lillico na Tasmânia.


Donation to FOLP

Further information
Mais informações

Stahel, C. & Gales, R. (1987). Little Penguins - Little Penguins in Australia. Uni Press, Kensington, NSW.

Contactez la Biodiversity Conservation Branch : DPIW 134 Macquarie Street, Hobart. 7000
Téléphone : (03) 6233 6556 Fax : (03) 6233 3477

____________________________________
Kindly translated by Fuzivel

No comments:

Post a Comment